Durante os Anos sessenta Em Londres

Blog

Durante os Anos sessenta Em Londres 1

Durante os Anos sessenta Em Londres

O tipo retro (também chamado de “inspirado pelo “vintage” é um tipo que deriva conscientemente ou imita tendências, música, moda ou atitudes do passado. O termo clássico usado desde a década de 1960 pra relatar, de uma divisão, novos artefatos que conscientemente referem a alguns particulares modos, padrões, técnicas e utensílios do passado. Todavia, de outra fração, diversas pessoas usam o termo pra catalogar estilos que foram elaborados no passado.

O modo retro refere a coisas algumas que afirmam características do passado. Ao contrário do historicismo de as gerações Românticas, é principalmente o passado recente, onde o retro procura recapitular, com tema em produtos, modas e estilos artísticos produzidos por meio da Revolução Industrial, os sucessivos estilos da Modernidade. A frase inglesa retro deriva do prefixo latim clássico, que significa pra trás, ou de tempos passados.

Pela França, a palavra rétro, uma abreviatura de rétrospectif, obteve prestígio com as reavaliações de Charles de Gaulle e o papel da França pela Segunda Guerra Mundial. O jeito rétro francês de 1970 valorizou o cinema e as novelas que revelam a conduta de civis franceses ao longo da ocupação Nazista.

O termo rétro aplicou-se logo as modas nostálgico francesas que lembravam o mesmo tempo. Muito pouco tempo depois, retro apresentou-se em inglês pela imprensa de moda e cultura, onde sugere um renascimento bastante cínico do que o velho, todavia de modas relativamente recentes.

  • É aplicado com um pulverizador muito finito, pra dirigir-se directos ao tema (ou da cana)
  • Spencejsmith (conversa) 19:59, 30 de mai de 2017 (UTC)
  • Morrer de pânico em um hotel de luxo
  • Outono em Madrid (2001)
  • 1 Infraestrutura eclesiástica

Em Simulacra and Simulation, o teórico francês Jean Baudrillard descreve retro como uma desmitologización do passado, à frente o presente das grandes ideias que dirigiam a idade moderna. De forma mais comum, clássico é usado pra contar materiais e atitudes do passado recente que prontamente não parecem modernos. Sugere um deslocamento fundamental na maneira em que nos relacionamos com o passado. Distinto de novas maneiras de renascimento mais convencionais (revival), “retro” sugere um meio irônico, meio anseio e a consideração do passado recente; ele tem sido chamado de uma “nostalgia não sentimental”, recordando formas modernas, que neste instante não são atuais. O conceito de nostalgia se une ao clássico, mas o adocicado vontade de coisas, pessoas e situações do passado tem uma presença irônica em modo retro.

Retro mostra nostalgia com uma dose de cinismo e de desapego. O vontade de capturar alguma coisa do passado e evocar a nostalgia se alimenta com a insatisfação com o presente. Retro pode ser aplicada a muitas coisas e artefatos. Por exemplo, maneiras de tecnologia obsoleta (como máquinas de escrever, caixas registadoras e enormes telefones smartphones) e bem como a ressurreição de antigos jogos de pc e o equipamento em que se jogam. Desde a década de 1980 as implicações da frase ‘retro’ foram ampliadas na aplicação a diferentes meios.

Vários meios de comunicação têm adotado o termo retro do mundo do design. Desse jeito, e também jogar artefatos e materiais, temos o design gráfico, a moda e o design de interiores, onde ‘retro’ poderá ser usado pra: música, cinema, arte, video, jogos, arquitetura, televisão e comida. Muitas vezes, poderá assim como recomendar uma completa maneira de vida (postando sobretudo formas de conservadorismo social como explicar em moradia ou o abraço dos papéis de gênero habituais). Até o decênio de 1960, os interiores são decoravam com antiguidades. Ao longo dos anos 60 em Londres, as lojas começaram a vender móveis de segunda mão. Estas lojas eram diferentes das anteriores lojas de antiguidades porque vendiam objetos da vida cotidiana de um passado recente.

Esses objetos tinham todo o estilo de ser lixo: sinais de esmalte vitoriano, ursos de pelúcia, móveis antigos pintados com rebites, chapéus de feltro, etc. Surgiu uma nova maneira de gerar e ingerir o passado e uma ampla gama de objetos do passado recente foi utilizado para novos projetos. Antes que a expressão ‘retro’ entrou em exercício no final da década de 70, a prática de adotar velhos estilos para novos projetos de imediato era alguma coisa comum. Através dos séculos 19 e 20, os designers copiavam do passado, como por exemplo, o tipo classicista. A diferença é que, desde a década de sessenta as pessoas começaram a alegar-se ao passado recente.